“Lizha só festas” garante que vai prestar assistência às famílias das vítimas

0 161

Anita Luísa Bahane e Dayane Sérgio Ruco, mãe e filha, morreram pisadas e asfixiadas ao tentarem saírem do portão do “Aqua Park” local que acolheu o espetáculo alusivo a 1 de Junho na Cidade de Maputo.

É sem dúvidas um dos momentos trágicos que mancharam as celebrações do dia Internacional da Criança na capital do país. Houve até então cinco mortes confirmadas. São crianças e adultos. Já desde o último domingo, familiares das vítimas dirigem-se a quinta esquadra da PRM que funciona no recinto do Hospital Central de Maputo (HCM) bem como a morgue desta unidade sanitária para procurarem seus ente-queridos.

Hoje uma das famílias já tinha identificado os seus ente-queridos, mãe e filha. No Hospital iniciaram diligências para as exéquias fúnebres. Célio Ruco é tio e cunhada das vítimas, conversou com a equipa do Jornal “O País” conta a seguir o que acompanhou do infortúnio que nunca vai se apagar da sua memória.

“Nós tivemos informações a partir das amigas da falecida, bem como da família que estava lá. Ainda no recinto da “Aqua Park”, a criança já falecida caiu, quando ela cai, a mãe tenta proteger a criança e ela cai e as pessoas pisaram-nela e depois chamaram a ambulância que veio sem que estivesse munida de material dos primeiros socorros e chegaram ao hospital como óbitos”.

A família Ruco, conta que na noite de domingo terá recebido chamadas da empresa “Lizha Só Festas” para propor um encontro na quinta esquadra da PRM onde era para tratar assuntos do funeral e tal aconteceu.

Sem gravar entrevista, a “Lizha só festas” deu a conhecer através de um dos representantes que hoje esteve a dar acompanhamento a família das vitimas, que vai se responsabilizar pelas cinco vítimas mortais, disponibilizando urnas, transporte e cesta básica. A nossa equipa de reportagem soube ainda da mesma fonte que das vítimas falta por identificar uma família.

Fonte:O pais

Leave A Reply

Your email address will not be published.