Comandante-Geral da PRM estabelece prazo para RAS explicar morte dos polícias moçambicanos

0 190

A África do Sul tem até segunda-feira para explicar o assassinato de dois polícias moçambicanos na Ponta do Ouro.

O prazo foi estabelecido pelo comandante-geral da PRM, Bernardino Rafael que exige, também, a integração de peritos moçambicanos na comissão de inquérito criada para averiguar o caso.
Já passam mais de 10 dias após o assassinato a tiro de polícias moçambicanos por militares sul-africanos, na fronteira da Ponta do Ouro. Entretanto, ainda não há nenhum esclarecimento da África do Sul sobre o caso, facto que incomoda ao comandante-geral da PRM.

Bernardino Rafael estabeleceu o dia 1 de Julho como data limite para que a África do Sul apresente os resultados preliminares da investigação ao assassinato. E porque foi criada uma comissão de inquérito pelo Estado sul-africano para averiguar o caso, a PRM exige a integração de moçambicanos nas investigações, nem que para tal seja necessário accionar instrumentos legais da SADC.
Sabe-se que os militares sul-africanos envolvidos no baleamento continuam a trabalhar normalmente, não tendo havido nenhum processo disciplinar depois do sucedido.

O comandante das Operações das Forças Armadas da África do Sul chefiou uma delegação que esteve esta quarta-feira em Maputo, onde reuniu com o comandante-geral da Polícia da República de Moçambique. No encontro, os sul-africanos apresentaram um pedido formal de desculpas pelo assassinato de polícias moçambicanos.

Fonte:Folha de Maputo

Leave A Reply

Your email address will not be published.