Mambas já contam com Maestro e hoje chega Miquissone

0 321

Os Mambas realizaram, ontem, mais duas sessões de preparação, no relvado sintéctico da Associação Académica, para os jogos diante do Ruanda e de Cabo Verde referentes à qualificação ao CAN-2021. Luís Gonçalves já conta com Abel “Maestro” Joshua que actua em Portugal e, hoje, espera-se pela chegada de Luís Miquissone

Duas sessões de treinos desta quinta-feira a totalizarem já cinco de campo e mais um do ginásio são o total do cumprimento da agenda de preparação traçado por Luís Gonçalves para a dupla operação Ruanda e Cabo Verde, respectivamente. As sessões foram as primeiras abertas aos jornalistas, ainda que sem interacção com a equipa técnica e com os jogadores, por decisão do seleccionador nacional.
Ao todo, são 16 os jogadores que estão à disposição do seleccionador nacional, sendo quatro guarda-redes (Guirrugo, Ernani, Frenque e Victor), cinco defesas (Jeitoso, Sidique, Chico Mioche, Jorge e Fidel), quatro médios (Telinho, Nelson, Maestro e Nené) e mais três avançados (Lau King, Melque e Dayo), que procuram assimilar as orientações da equipa técnica que prioriza, nestas sessões, a resistência, o passe e o controlo da bola, a marcação e a desmarcação, entre outros aspectos técnicos e tácticos.
Os grandes destaques do grupo que trabalha no sintético da Académica são os médios Telinho e Maestro. O jogador canarinho já está totalmente recuperado da lesão que sofreu no início do Moçambola 2021 e já trabalha com a bola e sem limitações. Já o jogador do Vitória de Guimarães foi o primeiro que actua fora de portas e que se juntou ao combinado nacional.
Luís Gonçalves disse que as sessões têm corrido de afeição e onde se prioriza os princípios de jogo e transições, para além da componente física dos jogadores, “que é bastante importante nesta fase”. Aliás, de acordo com Gonçalves, “os jogadores estão a responder positivamente, apesar do calor, mas isso faz parte do processo”, mostrando-se satisfeito com a integração dos quatro chamados a última hora para substituir os três infectados pela COVID-19 e que se encontram em isolamento, nomeadamente Kito, Amadu e Bhéu.
“O grupo vai-se compondo e vai trabalhando positivamente e os jogadores estão empenhados e o ambiente da equipa é muito positivo”, considerou o seleccionador nacional, Luís Gonçalves.

LUÍS MIQUISSONE ESPERADO ESTA SEXTA-FEIRA E CLÉSIO DISPENSADO

Entretanto, os jogadores que actuam fora de portas começam a chegar ao país para se juntarem aos trabalhos de preparação dos Mambas e, depois do Maestro que aterrou na passada terça-feira, esta sexta-feira é esperada a chegada do avançado Luís Miquissone, que joga no Simba da Tanzânia. A informação foi avançada pelo próprio seleccionador nacional, Luís Gonçalves, que espera que seja uma mais-valia a integração do Konde Boy, motivado depois do golo e assistência na passada terça-feira para a Liga dos Campeões Africanos.
A grande expectativa do seleccionador nacional é saber se poderá contar com os jogadores que actuam fora de portas, depois da confirmação da não dispensa de Reinildo Mandava, pelo Lille da França. Aliás, segundo escreve o jornal O Jogo, os clubes da I e II Liga francesa decidiram não ceder os seus jogadores para as respectivas selecções nacionais de fora da União Europeia devido a uma possível quarentena obrigatória no seu regresso, anunciou a Liga de Futebol Profissional.
“Uma vez que os futebolistas internacionais estrangeiros não estão isentos de uma quarentena forçada no seu regresso à França, os clubes não irão ceder aqueles que sejam convocados para as respectivas selecções para jogos fora da União Europeia durante o próximo período de jogos internacionais em Março”, lê-se no comunicado divulgado à imprensa pela Liga de Futebol Profissional (LFP).
Assim, já vão em três as baixas confirmadas de fora de portas, depois de Mexer e Zainadine, embora o seleccionador nacional tenha esperança de que o central do Marítimo seja autorizado a vir representar a selecção nacional.
No sentido contrário, Luís Gonçalves anunciou o volte-face do Zira do Azerbaijão em libertar o internacional moçambicano Clésio Baúque para os Mambas, podendo, o jogador, integrar o combinado nacional em terras de Paul Kagame.

RUANDA JÁ TRABALHA COM “ESTRANGEIROS” PARA EMBATE COM MOÇAMBIQUE

Os jogadores do Ruanda que actuam em clubes estrangeiros já estão a juntar-se à selecção para preparar os embates diante de Moçambique e Camarões de qualificação à fase final do Campeonato Africano das Nações de 2022.
Trata-se de Haruna Niyonzima e Salomon Nirisarike, ambos do FC Urartu da Arménia, que foram os primeiros a juntarem-se à concentração da selecção ruandesa, na Segunda-feira, enquanto Steven Rubanguka do AE Karaiskakis da Grécia integrou os trabalhos na Quarta-feira, segundo escreve o jornal LanceMZ.
Para esta Sexta-feira são esperados os jogadores Yannick Mukunzi, do Sandviken da Suécia e Meddie Kagere, do Simba da Tanzânia, colega do internacional moçambicano Luís Miquissone.
Ainda de acordo com o jornal LanceMZ, o guarda-redes Emery Mvuyekure que actua no Sofapaka do Quénia deve chegar a Kigali no Domingo, enquanto os jogadores Kevin Muhire, do Masr El Makasa do Egipto, e Abdul Rwatubyaye, do FC Shkupi da Macedónia, colega de Reginaldo Faite, ainda não confirmaram as suas chegadas.
O seleccionador nacional do Ruanda, Vincent Mashami diz que o ambiente de trabalho é bom e que os jogadores estão a entregar-se aos trabalhos. “O ambiente, na concentração, está bom como sempre, muito disciplinado e focado e profissional. Ainda temos alguns dias para preparar totalmente a nossa equipa, todos os jogadores estarão prontos. A equipa está de bom humor e os jogadores estão preparados técnica, física e mentalmente para o desafio que têm pela frente ”, disse Mashami.
O grupo F é liderado pelos Camarões com 10 pontos, seguidos por Moçambique e Cabo Verde, com quatro pontos cada um, e o Ruanda, na última posição da tabela classificativa, com dois pontos. (O Pais)

Leave A Reply

Your email address will not be published.